Perder x Ganhar

Esse post ficou maior do que eu esperava…hehehe…Eu tenho visto muita gente criticando, criticando e só criticando…eu também faço isso. Mas mais importante que a crítica é o entendimento do objeto criticado, e como a sua crítica pode ajuda-lo a melhorar.

Achei muito interessante esse post, foram 2 paragrafos, mas que valem por um texto de 2 páginas.

“Os cristãos da igreja primitiva ponderavam sobre o que iriam perder ao abraçar a fé cristã. Eles perdiam suas vidas, suas famílias, suas casas, suas heranças…
Hoje, o cristão da igreja moderna se pergunta o que ele vai ganhar acreditando em Jesus: dinheiro, casa, carro, viagens…”

via: Nani e a Teologia

Eu tenho uma posição quanto a igreja conteporânea que anda nas duas principais vertentes de cristãos (e não cristãos talvez): Os que se levantam absolutamente na crítica sem  se importar com o resultado e os que se levantam criticando e tentando influenciar a coisa para que o verdadeiro evangelho de Jesus seja presente.

Olhando pra história, Jesus se levantou contra a corrupção, contra o abuso, contra o comércio no templo, contra a falsidade, alertou contra os Fariseus, enfrentou eles, etc.  Mesmo criticando e tendo ações radicais em relação a essas práticas abusivas, Jesus estava sempre presente na sinagoga, era onde Ele desde criança conversava e impressionava os sábios.

Depois veio a “igreja primitiva”. Lindo termo. Nada mais foi que os seguidores do Mestre que precisavam se juntar, se organizar pra continuar a missão que Jesus deixou para eles (e para nós). Com amor, autoridade, testemunho, milagres, curas, etc. Nossos amigos apóstolos deram sebo nas canelas e ganharam a estrada, alguns perto, alguns muito longe, eles iam e anunciavam as boas novas. Onde chegavam precisavam deixar ali alguns para organizar a turma que se encontrou com a Verdade. Essa turma deveria viver em comunhão, partilhando o pão, cuidando uns dos outros e ai, através desse amor, anunciando e fazendo discipulos.(não aumentando em número, mas em vida).

Hoje a coisa descambou um pouco. A igreja virou meio que shopping certo? Não! talvez o templo sim, mas a IGREJA continua, talvez crescendo menos que a igreja popular do reino do homem, mas a IGREJA que Jesus iniciou e a que é chamada de Noiva na Bíblia, que vai ser apresentada sem mácula ao Cordeiro no dia D, essa sim continua ai, fazendo discípulos, anunciando as boas novas, convivendo com milagres e amando o próximo e a Deus acima de tudo.

A grande questão que bagunçou tudo é a mesma do tempo de Jesus. Denunciar isso agora é redundante. O abuso, o amor ao dindin (isso não é Dizimo, depois eu explico isso, que hoje virou sinonimo de roubalheira), a corrupção e a hipocrisia, isso Jesus presenciou ao vivo e a cores. A pergunta que não me cala é a seguinte: Onde está você no meio disso tudo?
a)estou fora atirando pedras
b)estou dentro atirando pedras
c)não estou nem ai
d)se uma pedra me acertar eu pego o cara lá fora
e)gostaria de estar lá fora,  mas cada pedrada que eu levo, me faz pensar melhor
f)eu estou aqui pra catar as pedras e ajudar o cara que está me acertando

Tenho certeza que exitem muitas outras opçoes de “onde eu estou”, mas uma coisa é certa: o amor que Jesus tanto falou  é constituido principalmnte de ações e não de palavras. Foi o que Ele mesmo demonstrou. O homem é carne, sujeito a erros, sujeito a cobiça, mas também sujeito ao amor e sem mercer, sujeito a Graça de Deus. Ao que caiu, onde mais eu posso demonstrar amor senão ao lado dele? Ao que me atirou a pedra, onde mais eu posso ama-lo senão ao lado dele? Ao que traiu, mentiu, cuspiu no prato que comeu, atirou no próprio pé, enfiou o pá na jaca, chutou o pau da barraca, chutou a barraca, onde mais eu posso amar essas pessoas senão ao lado delas?

A novidade que não é novidade nenhuma, mas que atualmente se passaria como uma, é que a igreja física, a que você frequenta, ou a que você se recusa a frequentar, é um lugar de gente doente, pelo menos deveria ser, onde o doente e o cansado vão buscar ajuda e descanso e onde deveriam ter pessoas pra abraça-lo, trata-los e ama-los. Como Jesus fez comigo e com alguns de vocês.

Atirar pedras seja lá de onde for é facil demais e tomara que alguma delas se tornem agentes de mudanças, mas o mais importante não é o blablabla da critica absoluta ao sistema. O mais importante é se você se dispõe a judar esse sistema a melhorar e se você está disposto a ser uma dessas pessoas que carregam o cansado, ajudam o ferido e amam o próximo.

A igreja físca é falha, cheia de homens, como você e eu, e como sempre disse o Eek the Cat: ajudar não doi!

2 pensamentos sobre “Perder x Ganhar

  1. Paulo Victor disse:

    post mais pertinente impossível, para o que vivemos na “igreja” de nossos dias.
    reflexão incômoda, mas necessária.
    parabéns.

  2. Natanael disse:

    Muito real, parabéns, assim sejamos agentes de mudança, independente do tamanho de nosso sucesso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: